Minha mente adormece
As minhas pálpebras começam pesar
Minhas palavras são lentas
Nem mesmo eu consegui escutar
A sensação que me dava que
Nas minhas costas
Eu carregava todo peso da alma
Caminhando sozinho
Meus pensamentos se perdiam no ar

O beck está queimando
Fumaça sobe
Eu tenho a impressão de estar ouvindo vozes
Parado nesta estrada fico pensando
Pra onde este caminho está me levando
O corpo flutua a mente adormece
Levanto as mãos e faço uma prece
O beck chega ao fim eu sento na calçada
Eu fui atrás do paraíso e não
Não encontrei nada não
Não encontrei nada não
Não encontrei nada não

Verde nasce queimando
Fumaça subindo
E eu viajando no caminho
Sentei na calçada fiquei sorrindo
Sobre as coisas sem sentido
Quando me liguei (vai vendo!)
A noite tinha chegado
E a loucura estava apenas (pode crer)
Apenas começando

Pelo caminho eu via
Muita gente queimando
Lá do alto alguém consegue nos ver
Dessa vida escura consegue nos proteger
Sem que a gente ao mesmo se quer
Consigo perceber
Nas escuras ruas se encontravam
Pessoas com sonhos diferentes
E no futuro se tornarão
Na mais desejada realidade
Mais outros infelizmente nunca verão
Os seus sonhos realizados
A vida é assim feita de sonhos
É isso o que nos mantém vivos
Conscientes ou inconscientes
Mais sempre correndo atrás de algo mais

(refrão)

A minha mente anestesiada
Não percebia o quanto eu gritava
Com a explosão da fogueteira
Que iluminava nossa vila flávia
Enrolando um baseado com os irmãos
Diretoria presente sem confusão
Flor da vila cruzeirinho
E vai quem quer e noroeste
Eldorado canarinho, times do coração
Cada um com a sua camisa com orgulho, né não
Pra finalizar uma cerveja no Carlinhos bar


O beck está queimando
Fumaça sobre
Eu tenho a impressão de estar ouvindo vozes
Parado nas estrada fico pensando
Pra onde este caminho está me levando
O corpo flutua a mente adormece
Levanto as mãos e faço uma prece
O beck chega ao fim eu sento na calçada
Eu fui atrás do paraíso e não
Não encontrei nada não
Não encontrei nada não
Não encontrei nada não

As horas vão passando
O sonho vai chegando
Meus olhos lentamente vão se fechando
Dou minha última tragada
Sento na calçada
Fui atrás do paraíso e não
E não encontrei nada não

O corpo flutua a mente adormece
Levanto as mãos e faço uma prece
O beck chega ao fim eu sento na calçada
Eu fui atrás do paraíso e não
Não encontrei nada não
Não encontrei nada não
Não encontrei nada não

Video erróneo?