São dois cantadores na feira das palhas
Cantando a nobreza mouros e ciganos

De Pernambuco à Paraíba
cantorias e reisados
mamulengos e fandangos
toque de baque virado para o mar
chapéu de palha e fumo grosso
guerra peixe em água fria
na chegança de marujo
"catimbó", "cana caiana", "carnaval"

Meu São Benedito
protetor das tentação

São emboladores, peço a padroeira, cantando aos mascates
velhas nas ladeiras

Passa avenida, passa carro, morre o trem
ferroviário
meu poema conselheiro
"travessia do cambaio", procissão...
meu São Benedito...