Hoje tá tudo mudado, melhor que o passado
Onde o bicho pegou
Deixam a parte do samba, essa gente que é bamba
De cara pro gol
Quero brindar essa história, apagar da memória
O que agente passou
Me chama onde houver um samba que eu vou
Onde houver um samba que eu vou
Onde houver um samba que eu vou
No pé e na palma da mão, também vou
Na palma da mão, também vou
Na palma da mão, também vou
Eu vou porque a gente que brilha
Segue a mesma trilha que o samba deixou
Eu vou na pegada do banjo
Onde muito marmanjo cruel desabou
Meu samba quem ouve adivinha
Feijão com farinha, tempero e sabor
Seguimos tocando essa bola
Que veio de Angola no som do tambor
Me chama onde houver um samba que eu vou
Onde houver um samba que eu vou
Onde houver um samba que eu vou
No pé e na palma da mão também vou
Na palma da mão também vou
Na palma da mão também vou
Cansado, entortado, sem lei deturpado e ferido
Não abro mão das raízes de um velho partido
Eu sou do quintal, já comprei, já vendi, fui vendido
Mas não abro mão das raízes de um velho partido
Pra quem tá pensando que é do samba eu duvido
Não há concessão nas raízes de um velho partido
Quem não acompanha
Sabe a manha, pega a banha se o verso for ferido
Eu nunca abro mão das raízes de um velho partido

Video erróneo?