Veja bem,
Não é que eu esteja isento
De deslumbramentos e de seduções.
É que eu
Me sinto um tanto encabulado
Quando me perguntam qual vai ser de mim
E corro o risco de dizer algo tolo,
Dessas conversas de quem não tem ambições.
E um outro diz, no ato, que eu estou por fora
E que eu já fiquei pra trás.

Pode ser
E é por bem que assim seja:
Não ter muita história pra justificar.
Pois pra que
Vou construir esse edifício
Se é pra pôr de lado ou pra deixar pra alguém?
Eu sei que gosto mais do que é só meu
E aprecio consumir tudo hoje mesmo.
E se eu me enganar, me basta ir pra bem longe,
Ou pôr a culpa em algum aí.

‘tou aqui
Mas é como se eu não estivesse
Porque minha intenção é só brincar,
Ver você
Vivendo pra contar vantagem,
Pra contar dinheiro, pra contar pra mim.
Pra se deitar de acordo com o que aí está,
E agradecer por já ter se tornado herói,
Tentar se esquecer de alguma covardia
Enquanto eu rio por não ter mais o que fazer.

Video erróneo?