Não me arrependo de nada que vivi
Venho do tempo em que muito disto não estava aqui
Eu vi como a cultura evoluiu
Também assisti quando parte dela ruiu

Não existiam Dvd's, só vinil e cassete
Não existiam telemóveis, Mp3 ou internet
Só uma estação de rádio passava verdadeiro Hip Hop
Duas horas colado à energia com o marinho a dar-lhe forte
No porto os murais virgens recebiam os primeiros traços
Sou da escola de b-boys que na rua deram os primeiros passos
Do tempo *** revistas, para ler as notícias
Da cultura além fronteiras, grandes corridas de seguritas
Das mixtapes míticas cozinhadas no segundo
Das tardes de calor e das tertúlias de fumo
Do tempo que era tradição fumarmos à marroquina
Não deita fora, aguenta até uma volta inteira estar cumprida
Das festas até às 6, madrugadas à porta da fábrica de pastéis
Ou no tropical cheios como reis
Ouvidos a zumbir de tantos decibéis
Dormir de barriga cheia não era das opções mais saudáveis

Formatura na escola dos concertos à borla
Dos tempos em que jogávamos à bola no campo e não no comando da consola
Do 48k ao Commodore 64
Eu vim do Jurassico Spectrum ao clássico Mac Pentium 4
Incendiário de Mpc's, a primeira durou-me 3
Anos após faleceu, adormeceu e apagou-se de vez
Percorri a velha escola, do analógico ao digital
Comprovo coleções de vinis com a minha impressão digital
Eu vi do mais trivial ao mais intelectual
E muitos coletivos acabarem no individual
Vivi na cidade da música, toda a gente se conhecia
Mas a vizinhança foi crescendo e dissolvendo a sintonia
Venho da periferia onde começa sempre o dia
Conversas de bairro e política e futebol na barbearia
No café mulheres vendem o corpo em troca do pequeno almoço
Observava enquanto crescia o peso que acaba no dorso

Muitos manos ainda conservam a escola anterior
Humildade e unidade com trabalho a nível superior
Estamos aqui para o que for, na alegria e na dor
Quantas condições pessoais frente ao condensador
Quantos quilômetros de ansiedade e passagens em portagens
Do tempo em que o que ganhávamos nem chegava para as viagens
De putos sonhadores a humildes senhores
Viajando de terra em terra semeando valores
Manos senti-me completo por dentro por cada mensagem recebida
Manos, a vossa música ajudou-me numa etapa da vida
Passo o dia a ouvir-vos no Mp3
Conheço de cor as letras de todos vocês
Obrigado a todos que apoiam e mantêm a chama acesa
Desejo-vos um teto, saúde e sucesso, comida na mesa
Vivemos tempos difíceis, mas a hora é de mudança
Precisam-se de homens e mulheres com substância

Pertenço aos 70 de 1900
Beatbox de fundo, sem fundos para instrumentos
Não percebem, porque não passaram por isso

Video erróneo?