Chegará o dia
Esta vida é como um negócio onde o troco é pago
Na mesma moeda, com juros, com dividendos sem queda,
Faças bem ou mal, certo ou errado
Sejas vendido, comprado, trabalhador, reformado
O espelho mostra o reflexo de emprego dobrado, pára,
E reflecte no que fizeste nesta vida
Os teus atos dão a volta ao mundo

Mas é sempre com bilhete de volta e ida ao ponto de partida
Para acumulação de divida fuga inacessivel num beco sem saída
Onde a mente fica perdida,
São filmes, mentiras atrás de verdades torcidas
são amizades vendidas

És falso com quem giras, não penses que conseguirias
Partir, porque ao equilibrio ninguem pode fugir
Introspecção feita, para que daqui a uns anos
não desdenhes os frutos da tua colheita
Pensas a curto prazo, se é esse o caso, erro crasso,
Digo-te não dás mais um passo, não estendas o braço

Chegará o dia
Solene justiça
Tudo aquilo que oferecemos
Volta de novo e multiplica

Mais cedo ou mais tarde todos serão recompensados
Abençoados pelo bem ou mal dos nossos pecados
Pois tudo aquilo que oferecemos voltará sempre a dobrar,
Por vezes o tempo tarda mas ele há-de te vir cobrar
Enquanto perdes segundos com rivalidades sem nexo
Mais depressa eu me afasto desse minúsculo universo
Na cultura em que acredito, o espaço é infinito
E a criação provem das profundezas do espírito

Co-existo entre almas que me enviam sinais,
Em simples conversas, chats, versos ou instrumentais
Pacifico demais, violento levado a um extremo
Quando vejo esses animais, que insistem em espalhar veneno moço,
Imagino como seria se acordasses um dia
Escandaloso, como o processo casa pia
Deus é quem me guia, o meu caminho alumia
Trago sementes de paz pa cultivar na terra harmonia

Chegará o dia
Solene justiça
Tudo aquilo que oferecemos
Volta de novo e multiplica

Chegou a hora para deitar tudo em cima da mesa
Já tenho controlo total da vida que levo
Agora quem nos pisar os calos, vai assumir os actos
Somos cada vez mais fortes para vos verem em baixo
Na magia vivo os dias, entrego-me à loucura
É droga mental usada quando se honra a cara
Dou por mim no trabalho a pensar nas minhas coisas
E levem altas armas pra ganhar esta batalha
Chego onde quero às vezes, mas poderei eu sentir

Um braço a dar-me apoio sem que me possa (...)
Bazar, confiar só em nós próprios nos ajuda
Leva-nos onde parte a inteligência desta cultura
Um por todos e todos, dentro do mesmo barco
Criávamos um espaço aberto, muito mais tranquilo
Vale a pena gastar saliva, se não ouves nada
Só depende de ti, criares a tua própria alma
É um sufoco, mas avança no momento oportuno,
Respira por onde der neste mundo de gelo
Respira por onde der neste mundo de gelo

Chegará o dia
Solene justiça
Tudo aquilo que oferecemos
Volta de novo e multiplica

Video erróneo?