Sou um gajo intenso tenho um poder imenso
De reverberar nos teus ouvidos sempre que penso
Sinto o vosso medo, vejo a vossa inveja
Observo o enredo antes de estenderem a bandeja
Não sou estrela, sou um cometa, o planeta
A via láctea, toda a galáxia
Sofro pelo que sei sinto com o sexto sentido
Choro por dentro quando penso no destino
Não me contento, com orgasmos de prazer
Quero sentir a alegria permanente de viver
Quero ser, não sei fingir, quero ter
Não quero sonhar, quero alcançar, quero chegar lá
Onde lá for, quero deixar a dor
Energia positiva e amor
Necessito, pra sair do mundo que habito
Do mundo cinzento, onde passo todo o meu tempo, só.

Tu que estás a odiar esta cena
Podes ter a certeza
Não és o único que tem inveja
Tu que estás a sentir o que digo
Podes ter a certeza, eu sei que estás nisto comigo.
Tu que estás a odiar esta cena
Podes ter a certeza
Não és o único que tem inveja
Tu que estás a sentir o que digo
Podes ter a certeza, eu sei que estás nisto comigo.

Tou cansado de pessoas feias, mentes vazias
Ideias ridículas, películas históricas
Narradas por pegas histéricas em festas
Esquinas, rimas e mentiras avulso
A pulso, cheguei onde estou, não devo zero a ninguém
Cago em todos que interfiram no percurso, quem vem?
Quem me acompanha, meus manos? Os mesmos
De há tanto anos, por quem luto, por quem mato
Por quem choro de orgulho, com quem partilho
Tudo aquilo que faço, tudo aquilo que tenho
Tudo o que sinto não minto
Sobrevivo com as vibrações que capto, inalo
Num bafo, que absorvo do espaço (5x)

Tu que estás a odiar esta cena
Podes ter a certeza
Não és o único que tem inveja
Tu que estás a sentir o que digo
Podes ter a certeza, eu sei que estás nisto comigo.
Tu que estás a odiar esta cena
Podes ter a certeza
Não és o único que tem inveja
Tu que estás a sentir o que digo
Podes ter a certeza, eu sei que estás nisto comigo.

Mais profundo do que um subterrâneo no submundo
Eu cuspo versos machados de sangue, lágrimas e lodo
Quando falo, viro-me ao contrário
E é o meu interior que vês, metade escuro, metade claro
Metade duro, puro, cem por cento sincero
Não receio o ódio de gente que não respeito
Não aceito hipócritas que choram quando têm fome
Quando viro costas cospem no prato que comem
Julgam que podem julgar
Julgam que podem roubar
Julgam que podem maldizer , estereotipar?
Tou farto de confusões, mas perigo não mete medo
Digo-te um segredo, tenho atracção pelo abismo
Sismo em continuar a ser sincero com o que faço
Emocionado, falo verdade ficas arrepiado
Dizem tenho idade para ter juízo
Mas não abdico de encontrar a paz que preciso, só.

Tu que estás a odiar esta cena
Podes ter a certeza
Não és o único que tem inveja
Tu que estás a sentir o que digo
Podes ter a certeza, eu sei que estás nisto comigo.
Tu que estás a odiar esta cena
Podes ter a certeza
Não és o único que tem inveja
Tu que estás a sentir o que digo
Podes ter a certeza, eu sei que estás nisto comigo.
Tu que estás a odiar esta cena
Podes ter a certeza
Não és o único que tem inveja
Tu que estás a sentir o que digo
Podes ter a certeza, eu sei que estás nisto comigo.
Tu que estás a odiar esta cena
Podes ter a certeza
Não és o único que tem inveja
Tu que estás a sentir o que digo
Podes ter a certeza, eu sei que estás nisto comigo.

Video erróneo?