Bati à porta, sorri sem jeito
Em resposta ao teu último adeus
Por tanto tempo, me vi sozinho
Juntando cacos de alguns carinhos teus

Bateu a porta, sorriu sem jeito
Com os olhos marejados de emoções
A tua vida, a minha vida
E o peito carregado de recordações

E o futuro, já não tão nosso
Não espera por ninguém

E tantos sonhos, entre outros planos
Sua vida já não era mais aqui
Fiquei sozinho, refiz meus planos
Cicatrizes das lembranças que eu vivi

E o futuro, já não tão nosso
Não espera por ninguém

Video erróneo?