Na brisa da noite o mar
Acalma a melancolia
Firmada no seio daquela
Mulher do cais, da vida

Sereia eu sou na noite
Num barco de rumo incerto
Em busca do firmamento
De afeto e calmaria

E logo o vento do norte
Que traz o medo e a morte
Destrói meu barco de areia
E caio na terra perdida

Meus olhos já viram o sol
A lua, o céu e o mar
Mas nunca a fantasia
Num barco sem navegar

Sozinha na terra estranha
Procuro a força do amor
A chama, a rampa de acesso
De um barco voltar ao mar

O vento sopra, leva, traz calor
Um barco no mar, atrai um sonho de amor

Video erróneo?