Tu és "Recife" dos coqueiros casarões
Que ilumina três poetas, dois pintores
Nesse cordel tem "Casa Grande & Senzala"
Um Freire na jangada, navegando por aí
Potro malhado, prado, léguas, caiporas
Galo castrado, tatu-peba e pitombeiras
Quanto brasão, na gameleira, macaxeira
Flor-de-cheiro, Ibiribeira, que aluvião

Tuparetama, Iguaraci, Tupã levou
Ibimirim, Itapetim, canção maior
Na ilusão de pescador, imperador
Pego peixe, faço nó no teu anzol

Mil carabinas se adivinhas de onde vem
Um disparate em tal prensagem, algodão
Quando escurece na paisagem nordestina
Teus olhos trazem vida, bisaco de peão
De sertanejo, virou frente, paulistana
Caldo-de-cana no papel, sua esperança
Anum piou num galho verde de "imbuzeiro"
No começo desse termo, acendo a paixão

Camaragibe, nesse tique, coração
Nos Guararapes surge colonizador
Ponte do Pina, Piedade, Graviola
Caranguejo, tapioca, Nassau levou

Video erróneo?