Eu venho cortando estradas de muitas eras
Eu trago dentro do peito o calor da terra
Eu tenho no meu cabelo a geada branquinha
Que cai na relva de manhãzinha
Bem no começo da primavera

Eu tenho no meu cabelo a geada branquinha
Que cai na relva de manhãzinha
Bem no começo da primavera

Eu sou o carro de boi bem junto à paineira
Eu sou o clarão da lua na cachoeira
Eu sou a terra adubada sou a semente
Sou a certeza do sol nascente
Eu sou El condor de la cordilheira

Eu sou a terra adubada sou a semente
Sou a certeza do sol nascente
Eu sou El condor de la cordilheira

Eu sou a chuva caindo na tarde mansa
Deste sertão sofrido, sou a esperança
Eu sou cafezal florido, sou boi fria
Que não tem hora e não tem dia
Da tempestade sou a bonança

Eu sou cafezal florido, sou bóia fria
Que não tem hora e não tem dia
Da tempestade sou a bonança.

Video erróneo?