A cidade se protege
Da poeira da estrada
Quando chega a madrugada
E se banha no luar
O tempo parece não ter mais pressa
E a noite recomeça a cada instante a cada olhar

E quando já é quase dia a minha voz silencia
Por um instante uma lagrima sem ninguém notar
Parece ter vindo da alma procuro manter a calma
Puxando conversa e de repente surge um novo desafio
Aqui não sentimos frio e sim um leve arrepio
Vendo o sol iluminando a igreja da matriz

A cidade se enfeita
Para a noite enluarada
E em silencio a madrugada
Vai passando devagar
Bem perto daqueles a quem amamos
Do amor que muda os planos
Da cidade e do luar

Na água do mar tem um pouco do rio da minha cidade
E a bem da verdade nem a saudade saberá compreender
Por que inventamos caminhos e as vezes ficamos distantes
Se os nossos sonhos eram fortes sob sua proteção
Não importa o rumo que eu siga eu sempre estarei retornando
Pra ver o sol iluminando a Igreja da matriz

Video erróneo?