Deixe desse chororô, isso não leva a nada
Meta a cara pelo mundo, meta o pé na estrada
Olha quem não teme nada, só vai aprender
A fazer o sol brilhar e o dia amanhecer

Não me atrapalhe, não se atrapalhe assim
Saiba fazer por você, que eu sei de mim
E sempre que a gente cruzar vai acontecer
Tudo, tudo, tudo, nada é preciso dizer

Não faça eu jurar, se eu não posso cumprir
Pra que uma dívida externa no meu existir
Olha tanta gente andando na avenida
Quanto gente bela e outras sem saída

Veja bem que o fim do mundo é todo dia
E quem sair fora dessa agonia
Terá dentro de si o lugar do não apodrecer

Na sala de visitas, da sua casa
Os olhos grudados na fita, da tv
Ninguém vê, alguém vê, ninguém vê, você

Na escola, no trabalho, um olho fita
Roboticamente o computador acusa a tua vida
Alguém vê, ninguém vê, alguém vê, você

Deixe desse chororô, isso não leva a nada
Meta a cara pelo mundo, meta o pé na estrada
Olha quem não teme nada, só vai aprender
A fazer o sol brilhar e o dia amanhecer

Não me atrapalhe, não se atrapalhe assim
Saiba fazer por você, que eu sei de mim
E sempre que a gente cruzar vai acontecer
Tudo, tudo, tudo, nada é preciso dizer

Video erróneo?