Eu e você somos tão iguais
Que até cansamos de ser normais
A nossa casa só existe quando
Dormimos entrelaçados
Não nos acorde cedo
Não nos maltrate, ó mundo
Nunca nos peça
Pra ficarmos parados
Somos viajantes do tempo
Se nada há de novo debaixo do céu
Escolhemos não servir
À vaidade que desponta
Tanta gente boa já não está aqui
Será que nos observam de uma ilha
E choram de rir
Não nos acorde cedo
Não nos maltrate, ó mundo
Nunca nos peça
Pra ficarmos parados
Somos viajantes do tempo
Eu e você tão embriagados
Que até casamos num feriado
E ninguém nos tira da montanha-russa
E ninguém critica mais sua barba louca
Nós bem além de tantas aparências
Nós em nós dois e nossas reticências

Video erróneo?