Você que não, não teme nada
Olhe pra trás e enfrente minhas facas
Cortando todos, aqueles laços
Que a vida inteira, ganhou tão fácil

Faça por merecer minha impunidade
Tenho a arma certa pra saciar minha vontade
Não tenho pena guardada em meus bolsos
Apenas jorro sangue e lavo o meu rosto

Engano todos eles com essa linda face oculta
Recebo amor e carinho dessa sociedade imunda
Recrio o mundo com o que tenho feito
Receba a morte com o que tem direito

Sou apenas um boneco assassino, sou apenas uma mera criança

Me vejo consumido, em ódio e sangue
Não sei o que deu em mim, estou em pane
Me apedrejaram nessa parede firme
Pois sou culpado pelo crime

Faço-me acreditar nessa história horripilante
Mas o que sinto é fascinante
Nós tememos o que não conhecemos

Eu vejo corpos estirados, e meros membros decepados
Não sei se quero mais parar meu papel será matar
Tenho feito o que tenho dito e também o que será escrito

Será levada ao sacrifício, são apenas ossos do oficio

Me vejo consumido, em ódio e sangue
Não sei o que deu em mim, estou em pane
Me apedrejaram nessa parede firme
Pois sou culpado pelo crime
Faço-me acreditar nessa história horripilante
Mas o que sinto é fascinante
Nós tememos o que não conhecemos

Eu vejo corpos estirados, e meros membros decepados
Não sei se quero mais parar meu papel será matar
Tenho feito o que tenho dito e também o que será escrito

Sou apenas um boneco assassino, sou apenas uma mera criança

Video erróneo?