Fivela de ouro
Autores: Adão Nildo e Rodrigo Mattos


Pra ser um peão precisa ser macho
ás vezes eu acho que tudo mudou
Na lida campeira aprendi de tudo
vaguei pelo mundo Deus me ajudou
Encontrei na frente pesadas barreiras
as grande pedreiras não me segurou
Conheço o Brasil todos seus estados
um peão respeitado até hoje eu sou

Eu não sou casado não quero enrosco
eu penso um pouco na hora do amor
Já tive em meus braços diversas mulheres
algumas me querem pra seu protetor
Eu me considero bem inteligênte
não planto semente de mágoa ou de dor
Está sempre feliz a minha consciência
Do que os outros pensam eu não tenho pavor

Quiseram saber da onde que eu vim
porque sou assim um caboclo ligeiro
Esperto e rápido igual um relâmpago
criado nos campos com os boiadeiros
Nasci nas montanhas de Minas Gerais
deixei os meus pais há muitos janeiros
Sou bravo e sou forte um peão arrojado
honro meu estado como é bom ser mineiro

Ganhei uns troféus das minhas batalhas
guardo as medalhas e os meus amuletos
Mãe Aparecida é a maior relíquea
na copa ela fica no meu chapéu preto
A fivela de ouro de grande importância
com muita elegância ostento com jeito
O prêmio maior que ganhou este peão
foi ser campeão da festa em Barretos

Video erróneo?