Hoje anoiteceu, no meu horizonte.
O frio expirou, o vento que apagou, a luz da minha mente.
Sento-me no chão, reflicto o meu caminho,
E oiço a tua voz, que tira o nó, que envolve o meu destino.


Dizes-me dança, dança, dança.
Dança, dança, dança e eu,

Aprendo a mexer o corpo.
A derrubar o azar.
Sinto a vida em dobro,
Quando a motivação me vem buscar.


Fazes-me pensar, em tudo o que dou
Para ultrapassar, de forma singular, as noites de dor.
Faz - me acreditar, devolve-me os sentidos,
Para meu coração ganhar pulsação, para voar contigo.


Dizes-me dança, dança, dança.
Dança, dança, dança e eu,

Aprendo a mexer o corpo.
A derrubar o azar.
Sinto a vida em dobro,
Quando a motivação me vem buscar…


A alma, a alma!
A alma, a alma!


Dizes-me dança, dança, dança.
Dança, dança, dança e eu,

Aprendo a mexer o corpo.
A derrubar o azar.
Sinto a vida em dobro,
Quando a motivação me vem buscar.

Video erróneo?