AS COISAS DA CASA
(Arthur de Faria, sobre poemas de Marcelo Sandmann)

1.
Ela agora só pode amar
Com a paixão contida
Da borboleta espetada na placa de isopor.

(De vez em quando uma asa estala
e sai voando pela sala
e quer quebrar o abajur.)

2.
Trazia nas mãos pressurosas
O ramo das rosas do arrependimento.

E no botão da rosa mais vistosa
A abelha venenosa
Que bulia por dentro.

3.
A raiva invadiu a casa
Numa labareda violenta.

Crestou tudo!

Agora os dois carregam baldes de água
Pra dentro,
Espionados pelos vizinhos,

Que olham de longe,

Por trás de gelosias engelhadas.

Video erróneo?