Minha primeira canção estava feita
Com os beijos de Marta e minha forma de querer-la,
Com a sabedoria de Maria
E as lembranças de Helena tão lânguida e sofrrida.
Minha primeira canção era mentira
Era algo de uma esquina de onde um dia disse adeus
Bia sempre foi um segredo
Nunca pude dizer a tempo, não.

Para mim foi a primeira a mais bela melodia
Por ser rosa prisioneira que ao tocá-la então morria
Que ao sair de minha boca me beijavam bem os lábios,
As frases agradecidas... Minha primeira canção.

Descobri que quando cantas
Só estas desanhando com palabras,
Era um verso dedicado ao suave cabelo
De Yolanda.
Era sonho e saudade, era escudo e era lança.
Dar de tudo pedindo nada, derramar no solo a alma.
Tocar o fogo sem preguntar se a chama pode queimar

Video erróneo?